Sebrae oferece apoio técnico para práticas sustentáveis

Adoção de padrões de produção e consumo mais sustentáveis contribuem para a geração de empregos considerados verdes

empregos_verdes

Sebrae oferece apoio técnico para gestores de micro e pequenos negócios interessados em adotar práticas sustentáveis.

Economia verde vai além daquela tradicional: ela resulta em melhoria do bem-estar da humanidade e na igualdade social, ao mesmo tempo que reduz significantemente riscos ambientais e escassez ecológica. A definição, que faz parte do relatório Rumo a uma economia verde do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), demonstra a necessidade de uma mudança estrutural no consumo e nas práticas econômicas mundiais.

Uma das bases para esta mudança são os empregos verdes. No Brasil e em muitas partes do mundo é crescente a criação desses tipos de postos de trabalho “que ajudam a proteger e restaurar ecossistemas e a biodiversidade; reduzem o consumo de energia, materiais e água por meio de estratégias de prevenção altamente eficazes; e minimizam ou evitam por completo a geração de todas as formas de resíduos e poluição”, segundo definição da Organização Internacional do Trabalho (OIT), das Nações Unidas. São novas funções que podem existir em setores diversos, da agricultura à indústria, bem como em atividades científicas, técnicas ou administrativas.

Além de reduzirem as emissões de carbono, os empregos, para serem verdes, devem ser considerados decentes, com trabalhadores ganhando salários adequados, condições seguras de trabalho e todos os demais direitos da legislação garantidos.

Em dezembro de 2008, o Ministério do Trabalho e Emprego contabilizou, por meio da Relação Anual de Informações Sociais, 39.441.566 empregos formais no Brasil; desse total a OIT considera que 2.653.059 ou 6,73% eram empregos verdes.

Novas funções

Para o coordenador do Centro de Estudos em Sustentabilidade (GVces), da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas, Paulo Branco, a adoção de práticas sustentáveis cria novas vagas nas empresas e redefine as já existentes. “Quando falamos em gerar novos postos de trabalho a partir da sustentabilidade, isso tem relação direta com as novas tecnologias, como as energias renováveis. A possibilidade de gerar energia em pequenas unidades elétricas, como por exemplo, uma pequena unidade eólica que abastece a própria empresa, pode criar novos empregos”, afirma.

Da mesma forma, também é possível aprimorar os cargos convencionais. “Grandes corporações sabem que a maior parte das emissões de poluentes está na cadeia de suprimentos, portanto, precisam de profissionais que tenham esse olhar sobre sustentabilidade mais ampliado”, exemplifica.

As novas funções e práticas podem ser adotadas, em menor escala, também nas pequenas empresas. O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) oferece apoio técnico para gestores interessados. Por meio de consultorias e até programas simples, como a tecnologia social Produção Agroecológica Integrada Sustentável (produção de hortaliças e frutas com pequenos animais com técnicas de baixo custo), o Sebrae demonstra a importância de tratar o lixo adequadamente, usar embalagens retornáveis biodegradáveis e construir escritórios e galpões nos padrões sustentáveis, além de apoiar empresas a elaborar produtos considerados sustentáveis.

FONTE:  Portal Brasil