Índices de chuvas caem assustadoramente em nossa região

Na ultima semana, a Flora Tietê participou da reunião do FEHIDRO (Fundo Estadual de Recursos Hídricos). Nessa reunião foram apresentados números alarmantes sobre a queda da ocorrência de chuvas em nossa região, nos 5 últimos anos hídricos, considerando o período de outubro até março. Conforme podemos notar no gráfico abaixo:

Capturar2

Analisando os números presentes no gráfico, podemos concluir que em um curto espaço de tempo (cinco anos) a quantidade de água oriunda de chuvas diminuiu em mais de 50%.

A falta de chuva está diretamente ligada ao desmatamento. Pesquisas revelam que uma árvore pode transpirar por suas folhas, até 60 litros de água por dia. Este vapor se mistura com as partículas de poluição do ar, e quando se acumulam em nuvens, caem em forma de chuva. Isso é facilmente percebido em parques e floretas que tem seu clima mais fresco.

Pode não parecer, mas a maior parte da água das chuvas continentais vem das próprias áreas continentais, e não do mar. A derrubada de grandes áreas com matas altera o clima das regiões, causando normalmente períodos estendidos de estiagem.

Outro fator que chama a atenção é o comprometimento da qualidade da água. O solo sem cobertura vegetal abundante causa erosão e lixiviação fazendo com que a qualidade da água seja comprometida, tornando-a sempre turva e muitas vezes imprópria para ao consumo. Ou seja, além da diminuição da água, o pouco que resta também acaba comprometido.

Também podemos citar a degradação dos mananciais, a retirada da mata que protege as nascentes, rios e lagos causa sérios problemas ao bem que está cada vez mais escasso em todo o mundo: a água.