Flora Tietê homenageia funcionárias no Dia da Mulher

 ONG  de Penápolis conta apenas com mulheres na produção de mudas dentro dos viveiros

Fotos evento Dia Internacional da Mulher 2013 020

Nesta sexta-feira, 8, a Flora Tietê ofereceu  na sua sede em Penápolis um café da manhã comemorativo para àquelas  que são as principais responsáveis pela proteção do meio ambiente na cidade. Dentro dos dois viveiros de mudas, localizados nos municípios de Penápolis e São José do Rio Preto,  essas trabalhadoras já produziram 31 milhões de mudas viáveis, isto é, mudas que se transformaram em árvores de 130 espécies diferentes, todas nativas do Brasil.

Os números são tão impressionantes quanto a história de algumas dessas mulheres que trabalham todos os dias para construir um futuro melhor para milhões de brasileiros. Tereza da Costa Maciel trabalha na Flora Tietê há seis anos e acredita que a ONG seja a sua segunda família. Quando mais jovem ela já trabalhava com a família em plantações de café. Questionada sobre o motivo do tratar com as mudas é totalmente feminino Tereza é enfática. “ Mulher tem mais carinho pelo que faz! E também muita paciência. Acredito que a os homens são mais afobados. É um trabalho que exige perfeição e calma”. Afirma Tereza.

A responsável pela atividade do grupo de mulheres no viveiro, Roseley dos Santos, trabalha na ONG há 21 anos. “Quando comecei a trabalhar dentro da Flora mudei de postura sobre a preservação ambiental, principalmente porque conheci o trabalho e passei a entender como é difícil a recuperação de florestas. A ONG me deu todo o suporte para conhecer esse mundo qual nunca tive contato”.

A FLORA TIETÊ

A Flora Tietê atua em todo o Estado de São Paulo e conta com dois viveiros de mudas, localizados nos municípios de Penápolis e São José do Rio Preto. Já foram plantadas mais de 31 milhões de mudas viáveis – mudas que se transformaram em árvores de 130 espécies diferentes, todas nativas do Brasil – o que garantiu um dos recordes da organização. Entre as espécies produzidas, muitas estão em risco de extinção, como por exemplo: Pau-brasil, Mogno, Cedro-rosa, Jequitibá-rosa e Jequitibá-branco. As mudas de espécies nativas produzidas são utilizadas na recuperação de matas ciliares, na manutenção de fragmentos florestais e em projetos de repovoamento de áreas degradadas. Em conjunto, os dois viveiros de mudas são capazes de produzir quatro milhões de mudas por ano, o que torna a FLORA TIETÊ um dos maiores viveiros particulares do Estado de São Paulo.

Além de tudo isso, a FLORA TIETÊ fundou há 9 anos o Parque de Educação Ambiental – PARBI, que visa educar através de um parque temático situado em sua sede na cidade de Penápolis-SP. Com visitas escolares, de associações e do público em geral, busca a conscientização ambiental de crianças e adultos na formação de sua cidadania, com o objetivo de garantir uma melhor qualidade de vida para a população. O PARBI já recebeu, desde sua fundação, mais de 35.000 crianças cadastradas em livros de visitas, de escolas públicas e privadas da cidade e região.

  • gabriel

    até que enfim as meninas do viveiro foram lembradas…pelo menos por um dia…parabéns.