Entendendo a Rio+20

Faltam menos de 100 dias para o início da Rio +20. O evento que ocorrerá nos dias 20, 21 e 22 de junho deste ano terá a participação de chefes de Estados e representantes dos países membros da ONU.

A Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento é denominada Rio + 20 por marcar o vigésimo aniversário da primeira Conferência sobre esse tema. O objetivo da reunião é reafirmar os compromissos dos países com o desenvolvimento sustentável, firmados na Conferência Eco-92 e difundir o conceito da economia verde.
A proposta das Nações Unidas é “estabelecer os alicerces de um mundo de prosperidade, paz e sustentabilidade”, a partir de dois temas principais: uma economia verde em prol da sustentabilidade e da erradicação da pobreza e a criação de uma estrutura institucional para o desenvolvimento sustentável.

No tema da “economia verde em prol da sustentabilidade e da erradicação da pobreza”, a intenção é definir um novo modelo de desenvolvimento que seja ambientalmente sustentável, economicamente viável e socialmente justo. No tema sobre a “estrutura institucional” a busca é de mais coerência na atuação das instituições internacionais nas vertentes sociais, ambientais e econômicas do desenvolvimento.

Dentro desses tópicos, algumas questões são mais críticas como: energia, empregos, alimentação, desastres naturais, cidades sustentáveis, água, tecnologias verdes; além de diversos outros aspectos que estão de alguma forma relacionados e interligados a esses temas principais.

Há 20 anos, a ONU alertou para os perigos que a vida no planeta Terra corre se o falso possível crescimento econômico infinito continuar a dominar as políticas econômicas e se o consumismo irresponsável não for controlado. Muitas promessas foram feitas, sob a forma de convenções, acordos e protocolos. Infelizmente, aquele momento de reflexão e de esperança se desvaneceu rapidamente.

O resultado está espelhado nos documentos para a Conferência Rio+20. Neles estão informações importantes sobre inovações de cuidado ambiental e o conceito de economia verde. Basta saber se acontecerá o mesmo que ocorreu com a Eco-92 ou se dessa vez a Conferência resultará em atitudes efetivas que irão mudar a atual situação ambiental.

Para maiores informações acesse: www.rio20.gov.br

Andréa Biral
Professora da Del Sole
Graduanda em Engenharia Ambiental e Urbana pela Universidade Federal do ABC.

Fonte: http://blog.delsole.com.br/entendendo-a-rio20/

  • LINCOLN GARCIA GERVASONI

    MUITO LEGAL EM!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!